viagens&gastronomia

Cinco roteiros que pode (e deve) cumprir neste Outono em Aveiro

As propostas aqui ficam, quentinhas e boas (como as castanhas). Sugestões especialmente recomendadas a quem está nas proximidades, mas não só. Se anda a planear um regresso à cidade dos canais, aproveite as dicas para estes dias mais frios. Propostas que demonstram que Aveiro vai muito para além dos tradicionais passeios de moliceiros, no centro da cidade. Anote as coordenadas e faça-se à estrada.

 

1. Explorar os vários passadiços da região

Agora que as temperaturas já desceram, a proposta de caminhar em contacto directo com a natureza pode revelar-se um excelente programa de fim-de-semana. Haja sol e força nas pernas, pois passadiços é coisa que não falta. Sim, leu bem. Por estas bandas, há muito por onde escolher.

Começando pelo mais novo de todos: o que parte de Esgueira, no município de Aveiro, e vai até Estarreja, sempre junto à Ria. Mais a Norte, também com vista privilegiada para a água, o destaque vai para os passadiços de Esmoriz (são mais de 8 quilómetros de percurso, a circundar a barrinha de Esmoriz e a Lagoa de Paramos). Outra das propostas a considerar são os passadiços de Fiães, no município de Santa Maria da Feira, que proporcionam um belo passeio (cerca de 4 quilómetros de extensão) ao longo das margens do rio Uíma. Sem esquecer, claro está, os famosos passadiços do Paiva, em pleno Arouca Geopark.

 

Passadiços do Paiva, em Arouca (DR)

 

2. Apreciar arte urbana em Estarreja e Águeda

Depois de ter vivido, no passado mês de Setembro, mais uma edição do Estau (festival de arte urbana), Estarreja conta, agora, com um roteiro de arte a céu aberto ainda mais completo. Add Fuel (Portugal), Marina Capdevila (Espanha), Millo (Itália), Regg Salgado (Portugal), TheCaver (Portugal) e Tiago Galo (Portugal) são os novos artistas representados no museu de arte urbana da cidade de Estarreja, e que vieram juntar-se a nomes como Bordalo II, Vhils ou André da Loba.

Noutro ponto da região, e também por causa de um festival anual – ainda que de carácter mais generalista -, a quantidade de obras de arte urbana já deu, igualmente, lugar a um roteiro. Falamos de Águeda, onde Bordalo II já deixou a sua assinatura, com a ave Pisco, no edifício do Instituto do Vinho e da Vinha. Na entrada da biblioteca municipal, por exemplo, encontrará pintado o rosto de Manuel Alegre, natural da cidade, entre outras obras que estão espalhadas pela cidade.

 

Uma das várias obras do ESTAU, em Estarreja (DR)

 

3. Averiguar qual é o melhor produtor de ovos moles

Já lhe deve ter acontecido perguntar onde é que se vendem os melhores ovos moles de Aveiro e obter várias respostas diferentes. Não estranhe, porque não é o único a sentir-se baralhado com a divergência de opiniões. A verdade é que gostos não se discutem e o que a alguém pode parecer mais saboroso a si pode suscitar uma avaliação diferente.

Portanto, nesta época do ano dada a dias mais curtos e frios, pode começar a procurar guarida nas confeitarias mais conhecidas da cidade, sob o pretexto de averiguar qual tem os melhores ovos moles. Qual Sherlock Holmes, visualize todas as montras que puder, com direito a degustação. Sem sentimento de culpa, caso ande a aproveitar, também, a sugestão dos passadiços. E sem ainda lhe restarem dúvidas, peça ajuda à Confraria dos Ovos Moles de Aveiro. Eles são especialistas na matéria.

 

Os ovos moles são uma das marcas da região

 

4. Visitar o Mercado Manuel Firmino, em Aveiro

Shiu!!! Não diga aos turistas – que continuam demasiado concentrados na zona do Rossio -, mas o Mercado Manuel Firmino e a sua envolvente é, sem sombra de dúvida, um dos locais mais bonitos da cidade de Aveiro. Plantado de frente para as águas da Ria, com uma de esplanada considerável e protegido da circulação automóvel, este é um dos melhores spotsda cidade.

Se o dia estiver de feição, aproveite para relaxar numa das várias esplanadas do mercado. E com ou sem sol, a ordem passa por entrar e apreciar as frutas e legumes frescos que os vendedores vão expondo nas bancas. Tome nota: o Mercado Manuel Firmino funciona de segunda-feira a sábado, das 7 às 19 horas (encerramento ao domingo). Mensalmente,  o espaço é também animado pela iniciativa Mercado Cooletivo, onde são vendidos artigos novos e usados, vintage e joalharia. Se nunca visitou esta feira, não sabe o que perde.

 

O Mercado Cooletivo acontece todos os meses (DR)

 

5. Descobrir as adegas da Bairrada

 Manda a tradição que em época de São Martinho (a festa do Outono, por excelência) se prove o vinho novo. Assim sendo, nada melhor do que reservar algumas tardes para explorar as adegas da região.

Pode começar por aceitar o convite da Rota da Bairrada e agendar uma visita às caves e adegas suas associadas, “deslumbrando-se com a arquitectura, a história e a magia que envolve a criação dos fantásticos vinhos da região, e muito mais”.

Entre as opções de visitas disponíveis estão a Quinta da Mata Fidalga (Aguim, Anadia), Adega de Cantanhede (Cantanhede), Quinta do Encontro (São Lourenço do Bairro, Anadia), Aliança Underground Museum (Sangalhos, Anadia), Caves Primavera (Aguada de Baixo, Águeda), Caves São João (Sangalhos, Anadia), Adega Campolargo (São Lourenço do Bairro, Anadia) e Adega Rama (Casal Comba, Mealhada.

 

Aliança Underground Museum

 

* Créditos da imagem de capa: Sandra Bio

Deixar uma resposta