cultura&ócio

Bordalo II apresenta, em Lisboa, retrospectiva do seu trabalho

Para muitos de nós, Bordalo II já dispensa apresentações. Os trabalhos deste jovem artista português – nasceu em 1987 (Lisboa) –, esculturas feitas com recurso a lixo e desperdícios, há muito que têm vindo a dar que falar (em cada peça, há sempre presente uma preocupação ambiental).
Agora, vai ser possível apreciar o seu trabalho numa exposição retrospectiva, composta por trabalhos novos que são uma extensão das obras que tem criado na rua, com lixo, em vários locais do mundo.
A mostra abre a 4 de Novembro, num armazém na zona do Beato, em Lisboa – a aposta passou mesmo por apresentar este conjunto de trabalhos fora do circuito de museus e galerias – e vai ficar patente até dia 26 de Novembro (entrada livre).
Intitulada “Attero” (desperdício, em latim), a exposição conta com curadoria de Lara Seixo Rodrigues e estende-se, também, para fora de portas. No âmbito desta apresentação ao público, Bordalo II criou três peças na rua: uma raposa na Avenida 24 de Julho, um sapo na rua da Manutenção e um macaco no pátio do armazém onde está patente “Attero”, no n.º 49 da rua de Xabregas.
Na mostra haverá também um espaço com imagens do que Bordalo II tem feito pelo mundo, no âmbito da série “Big Trash Animals”, “para que as pessoas tenham noção da amplitude do trabalho dele, as 88 peças pelos três continentes, em 18 países (excluindo Portugal)”.
No local estará também à venda um livro, que inclui testemunhos sobre o trabalho de Bordalo II, “de vários pontos de vista”, de pessoas ligadas às artes a ambientalistas, passando pelo actual ministro do Ambiente, Matos Fernandes.
“Attero” inclui também várias actividades, como “visitas guiadas, visitas para as escolas, mediante marcação, apresentações muito interessantes, uma delas pelo biólogo João Farinha que vai falar sobre peculiaridades dos animais tendo por base os animais que estão expostos, apresentação de produtos parceiros da exposição, altamente ecológicos e inovadores, apresentação de um projecto da Câmara de Lisboa e ‘workshops’ para crianças”.

 

O “Guarda-Rios”, peça criada por Bordalo II, em 2015, no âmbito do ObservaRia (Estarreja)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s