viagens&gastronomia

A história de “Pedro e Inês” agora é um doce

Amantes de doces: vem aí mais uma tentação de degustação obrigatória. É um novo bolo – será apresentado nos dias 7 e 8 de Outubro – e que surge no mercado com o nome “Pedro e Inês”. Criado pela Associação de Doceiros de Coimbra (ADOC), no âmbito das iniciativas que assinalaram os 650 anos da morte do monarca Pedro I, este novo doce aposta em ingredientes tradicionais, restando-nos, agora, aguardar por mais pormenores (e provar, como é devido, a nova guloseima).

“Pedro e Inês” vai ter honras de lançamento na nona edição da Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra, que decorre nesta cidade, no próximo fim-de-semana, com participação de cerca de quatro de dezenas de estabelecimentos.

Ainda que a receita e os sabores deste novo bolo estejam no segredo dos deuses, é de esperar que este novo doce esteja carregado de amor e paixão. Importa não esquecer que ele carrega no nome a memória da mais arrebatadora história de amor portuguesa – Pedro e Inês viveram uma relação proibida e trágica (Inês acabou por ser assassinada a mando do pai de D. Pedro, o rei D. Afonso IV).

Fica, então, essa vontade de visitar a Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra, que volta a realizar-se no Quartel da Brigada de Intervenção (antigo Convento de Sant’Ana, junto aos Arcos do Jardim, na Alta de Coimbra) e que contará este ano com 39 doceiros e expositores.

Os expositores e doceiros, que representam estabelecimentos de pastelaria e associações ligadas ao sector, são oriundos, além de Coimbra, de diversos pontos do país, como Alcobaça, Amarante, Braga, Évora, Felgueiras, Guarda, Leiria, Ovar, Régua, Santa Maria da Feira, Santarém ou Vizela. O evento tem entrada gratuita e decorre, no sábado, entre as 14h00 e as 23h00, e, no domingo, entre as 10h00 e as 19h00.

 

Deixar uma resposta