moda&design

É adepto do comércio ético e justo? Então, anote este nome: Fair Bazaar

 

O final deste mês de Setembro ficará marcado, em Portugal, por boas notícias para aqueles que se preocupam com um comércio ético e justo. A Fair Bazaar, uma plataforma que tem como propósito construir uma comunidade global de consumidores conscientes, está prestes a ser lançada no mercado. A Fair Bazaar será uma loja de produtos de moda, beleza e casa sustentáveis, todos com história e design reconhecido. Propõe ainda capacitar a comunidade, para que faça escolhas informadas e com impacto positivo no mundo. Tudo isto a partir de um único website: www.thefairbazaar.com.
O projecto nasce pelas mãos de duas empreendedoras, Joana Cunha e Patrícia Imbarus, que, depois de assistirem ao documentário “The True Cost”, de Michael Ross, despertaram para uma realidade até então desconhecida. “O documentário mudou a minha vida, nunca tinha imaginado a corrente de acontecimentos negativos que despoletava ao comprar os meus bens necessários: estava a contribuir para o trabalho infantil, escravidão, empresas que pagam menos de 1 euro por dia aos seus trabalhadores, para uma pegada negativa no ambiente, entre outros. As nossas escolhas enquanto consumidores têm um impacto muito maior do que imaginamos”, diz Patrícia Imbarus.
Assim nasceu a ideia de criar a Fair Bazaar. Numa primeira fase, irá centrar-se numa plataforma on-line que junta marcas sustentáveis de moda, beleza e casa, dando oportunidade aos consumidores de adquirirem produtos de alta qualidade, que contribuam para o comércio ético e justo, indo ao encontro dos ideais de cada um, seja vegan, eco-friendly, fair-traide, artisan, recycled, organic, zero waste ou small scale. “Todos os artigos são ainda seleccionados sob curadoria da Fair Bazaar onde a busca incide em produtos com história e design contemporâneo”, é assegurado pelas responsáveis pelo projecto.
Na prática, o consumidor terá, através da plataforma, acesso à história e ao impacto de cada produto, com a máxima transparência: desde os materiais utilizados, local onde foi produzido, condições de trabalho dos intervenientes e ainda modo de distribuição. E fica, também, essa certeza: a plataforma promoverá o conceito do Slow Living: é a primeira marca que encoraja para que não se compre, a não ser que se trate de um produto necessário e que a sua durabilidade seja longa (a compra deve ser pensada e não feita por impulso). Mais ainda. A Fair Bazaar promoverá, igualmente, o conceito do Slow Shipping, que ajuda a reduzir a pegada de carbono que a entrega produz, e ainda o Green Packaging.

Apresentação acontecerá no Greenfest

A plataforma Fair Bazaar será lançada no Greenfest, um dos maiores eventos de sustentabilidade do país, que cumprirá este ano a sua 10.ª edição – e decorrerá no Centro de Congressos do Estoril, de 28 de Setembro a 1 de Outubro (entre as 10 e as 20 horas).
No decorrer de todo o evento, a Fair Bazaar terá uma Pop-Up Store com mais de 50 das suas marcas aderentes. Outerknown, de Kelly Slater e John Moore, Thoreau, LOV the label, Chi Coracão, NAZ, Nae Vegan, LUXE Botanics, MyMarini, Guapa e Orikomi são algumas das marcas já confirmadas.
O objectivo, segundo garantem as responsáveis pelo projecto, é até ao final do ano a plataforma disponibilizar mais de 1.000 produtos, sob a curadoria da Fair Bazaar.

 

 

Deixar uma resposta