cultura&ócio

Dia de São Valentim: manual de sobrevivência para solteiros(as)

Há já vários dias que os anúncios publicitários e as montras das lojas não falam de outra coisa. Para ajudar à festa, os canais de televisão e a rádio vão anunciando programações especiais. O Dia dos Namorados (14 de Fevereiro) está aí à porta, para desgraça de muitos solteiros e solteiras que, certamente, convivem mal com a ideia de existir um dia festivo que os exclui logo à partida. Se já entre os enamorados existe quem abomine a “intoxicação” publicitária e apelo ao consumismo que marcam este dia, imagine o que não sentirão os que não têm uma “alma gémea”. Como podem, então, “sobreviver” ao Dia dos Namorados?

1. Desligar a rádio – Na próxima terça-feira, o ideal é optar por uma “playlist” própria (através do spotify, por exemplo) e fugir aos apelos ao amor, às prendinhas e jantares à luz das velas. O mesmo conselho vale para as emissões televisivas: procure as suas séries favoritas e fuja à programação contínua.

2. Fique a milhas dos restaurantes – Nem que a ideia passe por juntar um grupo de amigos(as) na mesma condição, o ideal é que optem por um programa em casa, a milhas dos estabelecimentos que nessa noite irão estar repletos de velas, corações e menus pseudo afrodisíacos.

3. Aposte forte no euromilhões ou no totoloto – Também vale ir ao casino ou apostar na lotaria. A ideia é tentar testar essa velha máxima: azar no amor, sorte no jogo.

4. Opte por um programa cultural – Pode ser uma boa noite para ir ao cinema (desde que a escolha não recaia num romance, claro está) ou a um concerto musical. Fica a dica: o festival “Montepio – Às vezes o amor” prevê concertos em várias cidades portuguesas. Ainda que o festival tenha como mote o Dia dos Namorados, até pode ser uma boa proposta passar a noite de dia 14 a assistir ao espectáculo “Deixem o Pimba em Paz” (Bruno Nogueira e Manuela Azevedo) no Coliseu de Lisboa – os Amor Electro vão estar no Coliseu do Porto; João Pedro Pais actua no Teatro das Figuras, em Faro; Gisela João no Convento de São Francisco, em Coimbra; Paulo Gonzo no Centro de Congressos de Arade em Lagoa; e André Sardet no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria.

5. Compre um presente para si próprio(a) – Se todos os outros estão empenhados em comprar uma prenda para a cara-metade, porque não dar um “miminho” a si próprio(a)?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s